Os mistérios do VOTO em VEREADOR: Um candidato com 8 mil votos pode perder para um com 2 mil?

Após o sucesso do artigo desvendando os mistérios do voto nulo, decidimos fazer outro artigo para desvendar outros “mistérios” que rondam a política! O tema agora é a lógica da eleição de vereadores, conhecida também como “eleição proporcional”.

Para simplificar a explicação, fiz algumas imagens que seguem abaixo.

Essa primeira imagem apresenta o contexto da realidade vicentina. Utilizei as proporções das eleições de 2008 disponíveis no TSE para estimar os votos válidos, nulos, brancos e abstinências para a eleição deste ano, 2012.

Imagem

Dado o contexto acima, explicaremos o QUOCIENTE ELEITORAL. O que é isso, afinal?

Imagem

Dado isso, é importante dizer que os partidos podem concorrer às eleições com chapa única ou coligados. A diferença nessa opção é que optando por chapa única, eles podem colocar até 150% de candidatos do número de cargos a disposição na câmara (no caso vicentino, 15 vagas  disponíveis); já optando por coligar-se com outros partidos, a coligação pode colocar até 200% de candidatos do número de cargos a disposição. Sendo assim, é mais fácil para os partidos atingirem o QUOCIENTE ELEITORAL, ao se coligarem com outros, pois tem a possibilidade de colocar mais candidatos em disputa e atrair mais votos à coligação, o que proporciona mais chances de atingirem o Quociente em questão.

Essa situação é a base para entendermos os motivos de candidatos com mais votos, às vezes, perderem para um com menos votos.

Imagem

Portanto, ao pensarmos no candidato que iremos votar, devemos analisar também o partido e a coligação proporcional do candidato! A coligação proporcional (tema em discussão na Reforma Política que tramita no Congresso Nacional), é uma possibilidade que os partidos encontraram para atingir o QUOCIENTE ELEITORAL.

É importante dizer que existe também a coligação majoritária. Ou seja, os partidos podem fazer duas coligações: uma em torno de um candidato a prefeito (caso não tenha um candidato do partido), que é chamada de coligação majoritária; e outra voltada ao grupo de vereadores, chamada de coligação proporcional.

Espero ter esclarecido as dúvidas. Fico a disposição para eventuais novas questões! Mande sua dúvida!

4…3…2…1…0! Contagem Regressiva! A mudança passa por todos nós!

1º Projeto / Orçamento Participativo – Kayo Amado Vereador 43210

PROJETO DE ORÇAMENTO PARTICIPATIVO:
I)  Gastos públicos: a população também decide!
II) Objetivo geral: Implementar o Orçamento Participativo na Cidade de São Vicente.
III) Objetivo específico: permitir que os munícipes possam participar deliberar, discutir e opinar o destino de parcelas do orçamento público municipal, de modo a ampliar a participação popular nas decisões, a responsabilização sobre os políticos e a elite burocrática, bem como estimular a população no acompanhamento das políticas públicas municipais.

IV) Justificativa: O Orçamento Participativo é um mecanismo que permite ampliar a participação do cidadão nas decisões públicas bem como a responsabilização desses sobre seus representantes locais. Uma vez que o município de São Vicente possui mais de 330 mil habitantes, e seus cidadãos são representados indiretamente pelos seus vereadores e prefeito, a participação do munícipe diretamente sobre a escolha do destino do orçamento municipal torna-o mais ativo nas decisões e potencializa a participação da população no acompanhamento das políticas públicas bem como das contas públicas. Além disso, possibilita que a própria população possa criar soluções para os problemas públicos e direcionar receita municipal para a resolução das questões-problema identificadas.

Vale ressaltar que a etapa de DIVULGAÇÃO das reuniões de orçamento é FUNDAMENTAL para a eficácia do projeto, ou seja, o governo precisará informar com antecedência e insistência. Divulgando em rádio, TV, jornal, Faixas nos bairros, panfletos em escolas, listas de e-mail, etc. O Orçamento Participativo depende de ampla participação da sociedade para funcionar!

Vamos participar e atuar no que é NOSSO: SÃO VICENTE.

Vamos aprender com Amsterdã? SIM!

Essa foto foi enviada pelo meu amigo Bruno Martinelli, que estava em intercâmbio acadêmico pela Europa.

A cidade de AMSTERDÃ possui 750 mil habitantes e a incrível quantidade de 700 mil bicicletas, quase UMA por habitante.

.Imagem
Reparem na foto a ORGANIZAÇÃO do trânsito com um amplo espaço para ciclistas.
 
Segundo ele, há poucos carros nas ruas e o trânsito mesmo é de BICICLETAS.
 
Cada vez mais temos problemas de trânsito aqui em São Vicente, embora tenhamos uma cidade plana. O que falta para a bicicleta ser adotada de vez por nós?
 
Eu proponho um Plano Diretor de Ciclovias! Outras ações que fomentem o uso, como bicicletários públicos – seguros e gratuitos – ajudam nessa mudança!

A mudança passa por todos nós! CONTAGEM REGRESSIVA!

 
Confira meus projetos em: http://www.kayoamado.com.br/#!projetos

Introdução aos projetos de campanha: Kayo Amado Vereador – 43210 (PV)

Contagem Regressiva. A mudança passa por todos nós.

Imagem

Os projetos que apresentarei adequam-se às funções do vereador: representar, fiscalizar, legislar e indicar.

Dessa forma, nem todos os projetos serão formulados através de projetos de lei.
Alguns deles serão realizados através de resoluções legislativas ou indicações ao executivo. Porém, é importante ressaltar que está nas funções do vereador esse tipo de atuação, conforme já exposto.
Apresentar projetos enquanto candidato a vereador é uma forma de reforçar o poder legislativo e reapresenta-lo como força de mudança no município de São Vicente.
Sendo assim, apresentarei a vocês 34 projetos ao município de São Vicente. Número que poderá aumentar com indicações da sociedade. Participe!

43210. Contagem Regressiva. A mudança passa por todos nós.
São Vicente, 18 de julho de 2012

Para quem ainda não conferiu o vídeo de apresentação: http://youtu.be/UvKVKQzAxEE

Confira os projetos na íntegra: www.kayoamado.com.br

O “CAMISA 10” DAS ELEIÇÕES: VOCÊ, CARO ELEITOR.

Meu último post aqui no blog foi referente ao disque denúncia eleitoral que o Ministério Público disponibilizou para que os cidadãos possam denunciar candidatos que agirem em desacordo com a legislação eleitoral.

Porém, como saberemos de que forma denunciar os candidatos que abusarem das regras?

Encontrei na internet uma forma simples de repassar essa informação:

ImagemAtravés dessa imagem acima, você pode, sim, ficar atento ao que os candidatos estão fazendo no seu município.

FÁCIL, NÃO?

O “camisa 10” das eleições é VOCÊ, caro eleitor.

Você tem o poder de decidir, para o bem e para o mal.

Você tem o poder de fiscalizar candidatos que ignoram as regras de campanha.

Você tem o poder do VOTO.

Vista a camisa da democracia. Chame a responsabilidade para si. Seja cidadão, fiscalize os candidatos, confira seus projetos.

ImagemÉ isso. Vamos adiante.

43210 – CONTAGEM REGRESSIVA. A MUDANÇA PASSA POR TODOS NÓS.

KAYO AMADO