A difícil missão de sonhar na política: um relato pessoal sobre os últimos dois anos.

“Não há nada como o sonho para criar o futuro. Utopia hoje, carne e osso amanhã.” (Victor Hugo)

Dois anos de Rede Sustentabilidade.
16 de fevereiro de 2013, em Brasília. Lá estava eu, pela primeira vez, na capital do Brasil, onde tudo acontece, o poder emana – transborda – de forma difusa e assimétrica por aquelas vias simétricamente planejadas. Era um sonho chegar até lá. E foi um sonho tudo que ocorreu.

Havia disputado uma campanha em 2012. Aos 21 anos era candidato à vereador em São Vicente, reunindo pessoas de diversos tipos, jovens desiludidos com a política a senhores que viveram a ditadura e ainda tinham esperança. Assim foi, no diálogo, na construção colaborativa, sem recursos ou padrinhos políticos, conquistamos nossos 823 votos. De forma limpa, ética, verdadeira.

Uma pena que a política é um ambiente tão contaminado. Logo após as eleições, me senti vetado dentro do partido que estava (o PV), com o sucesso político da nossa campanha totalmente alternativa que conectou centenas de pessoas. Era assim que me desiludia e, de repente, me via acompanhando os passos de Marina Silva​ (que também havia saído do PV por motivos similares) para um movimento que estava começando a esquentar, que conectou milhares de desiludidos e sonháticos país afora: o Movimento Nova Política.

Deu-se, então, uma sére de fatores que me permitiram sonhar. Juntei às economias restantes e fui para Brasília acompanhar a fundação da Rede​ Sustentabilidade.

Num passe de mágica, desafiando a probabilidade, fui sorteado, junto com outros nove presentes, para falar em cima do palco: e falei. Por dois minutos, um pouco da minha história, minha decepção com o mundo partidário e o sistema… e o porquê estava ali. Recebi aplausos dos ali presentes… entre eles, Marina, Heloisa Helena, e tantos outros. Estava nas nuvens. Tão nas nuvens quando vi, no dia seguinte, um trecho da minha fala na Globo News.

Dali em diante, tinha certeza que a melhor forma de combater a política falida que vi no meu município e região era com a postura indepentende que sempre tive. Tudo se encaixou. A Rede Sustentabilidade trazia essa esperança para mim.

E aí veio todo o 2013… repleto de trabalho, coleta de fichas, alegria nas ruas, contato com os cartórios eleitorais. Dediquei-me à construção do partido intensamente. Tornei-me Coordenador Executivo Estadual de São Paulo.
E aí veio todo o 2013… fichas sendo rejeitadas sem motivo, o julgamento no TSE, o indeferimento do partido, Marina se filiando transitória e democraticamente ao PSB.

Costumo pensar que processos traumáticos nos fazem evoluir. Fomos de uma maré mansa às trovoadas em meses, semanas, dias. E assim entramos em 2014, tudo muito confuso, mas certo de que precisávamos superar tudo e se manter resilientes e firmes no processo. Havia uma campanha a construir… e reconstruir, após ver o fatídico acidente de Eduardo Campos. Marcas e mais marcas. Quanta turbulência.

Do período eleitoral, poderia escrever parágrafos e parágrafos… um livro. Quantas histórias. Viver de perto a campanha de Marina foi uma experiência única… e dolorida. Deixou suas marcas. Coordenar a campanha do Zé Gustavo​, o único Candidato à Deputado Federal da Rede em SP, foi fantástico e motivador. Criar, inovar, sonhar.

Hoje estamos aqui… dois anos depois, prestes à registrar o partido… já organizando e construindo a Rede na Baixada Santista, em São Vicente, com a certeza de que ela será um partido independente dessa lógica falida por aqui, entre situação e oposição que não avançam o debate, não melhoram e nem querem melhorar nossa cidade, região. A certeza vem da essência, daquilo que nos motivou como sonho para criar nosso futuro. E o futuro é agora!

Tanta coisa passou, tantos amigos passaram. As experiências são únicas. E aqui estamos. Precisava compartilhar um pouco mais do que vivi. Histórias e histórias… quem sabe não reativo meu blog contando passo a passo.

10988839_788904594517619_750150645_o

Por hoje, é isso. Feliz aniversário, Rede! Dois anos me inspirando a acreditar em uma cidade, região, Estado, País e humanidade melhores. A mudança passa por todos nós.

Kayo Amado, 16 de fevereiro de 2015.

Anúncios